Home > Artigos > O que é um Teodolito e o que é uma Estação Total?

18-10-2023

O que é um Teodolito e o que é uma Estação Total?

O que é, Teodolito, Estação Total


A escolha entre Estação Total ou Teodolito vai depender muito das necessidades e especificações do seu projeto. Entre os diversos disponíveis, o Teodolito e a Estação Total são os mais comuns, mas como saber qual o instrumento mais adequado para o seu projeto? Para melhor decidir, vejamos então o que é um Teodolito e o que é uma Estação Total.


O que é um Teodolito?

 

Um teodolito é um instrumento ótico de precisão utilizado na engenharia e na topografia para medir ângulos horizontais e verticais com grande precisão. É frequentemente utilizado em trabalhos de levantamento topográfico, construção de estradas, mapeamento de terras e em outras aplicações que requerem medições precisas de ângulos e direções.

 

Um teodolito consiste num telescópio montado sobre um sistema de eixos verticais e horizontais, permitindo que gire livremente em torno de ambos os eixos. O telescópio é utilizado para medir ângulos verticais e horizontais em relação a um ponto fixo de referência. Geralmente, possui escalas que permitem aos utilizadores ler com precisão os ângulos medidos.

 

Os teodolitos modernos também podem incluir recursos eletrónicos para medições mais precisas e eficientes, como telas digitais, sensores de inclinação e capacidade de se conectarem a sistemas de posicionamento global (GPS) para obter dados de localização mais precisos.

 

Os teodolitos são essenciais para projetos de engenharia e construção que exigem precisão e garantia da exatidão das medições angulares.

 

O que é uma Estação Total?

 

Uma estação total é um equipamento avançado utilizado em levantamentos topográficos e em projetos de engenharia civil para recolha de dados precisos e abrangentes sobre o terreno, edifícios, estruturas e outros elementos geográficos. Uma estação total combina as funcionalidades de um teodolito eletrónico com as de um distanciómetro (para medição de distâncias - EDM) num único instrumento integrado. Isto permite que os utilizadores realizem medições de ângulos e distâncias de forma mais eficiente e precisa do que com equipamentos separados.

 

As estações totais modernas são equipadas com recursos eletrónicos avançados, como telas de exibição integradas, sistema de prismas e lasers para desenvolver leituras digitais e capacidade de recolha de dados automatizada. Podem ser utilizadas para uma variedade de finalidades, incluindo:

  • Levantamentos topográficos para mapeamento e modelagem do terreno;
  • Monitorização de construções e estruturas;
  • Estabelecimento de marcos de referência e pontos de controlo;
  • Cálculos de volumes de terra e materiais para projetos de escavação e terraplanagem;
  • Avaliação de locais para construção de infraestruturas como estradas, ferrovias e edifícios.

 

As estações totais permitem aos engenheiros e topógrafos recolher dados com precisão e eficiência, o que é essencial para o planeamento, projeto e construção de uma variedade de projetos de engenharia civil e de infraestrutura.

 

As Estações Totais são classificadas em:

  • Medição somente com prisma;
  • Medição sem prisma - reflectorless;
  • Servo-motor;
  • Autolock;
  • Robótica.

 

A Estação Total Robótica permite que o operador trabalhe sozinho com o uso de um controlador de dados que se comunica com o equipamento via link de rádio, automatizando ainda mais o trabalho e aumentado a produtividade. Possui, ainda, a função Autolock, que permite que a Estação Total siga o prisma/operador de forma automática, por via dos servo-motores. Além disso, existem modelos que possuem a função de scaner a laser com a capacidade de recolher milhares de pontos por segundos.

 

 Qual a escolha mais adequada?

 

Estação Total ou Teodolito? Cada um tem seus prós e contras particulares que podem ser utilizados em várias situações. Em geral, dependerá do tempo, do investimento, da sua força de mão-de-obra e da experiência ao decidir sobre o instrumento certa para cada um dos seus trabalhos.

 

A principal questão a analisar aquando da escolha deve ser a produtividade. Com o Teodolito, o levantamento topográfico é muito lento, na medida em que na maioria dos modelos as leituras de ângulos devem ser anotadas manualmente, além disso, não realiza a leitura de distâncias. Já com a Estação Total o processo é mais rápido, pois mede e armazena eletronicamente as informações de ângulos e distâncias.

 

Uma Estação Total geralmente é superior a um Teodolito porque incorpora múltiplos componentes eletrónicos digitais. No entanto, as Estações Totais são muito mais caras e exigem não só formação ao nível de levantamento topográfico, mas também formação específica de produtos e software.

 

Ao concluir trabalhos de levantamentos topográficos que abrangem grandes áreas, especialmente em terrenos com relevo acidentado, uma Estação Total proporcionará resultados mais confiáveis e precisos, além de uma maior produtividade.

 

Para parcelas simples de áreas menores, um Teodolito pode ser suficiente, sem contar que existem modelos que fornecem elevada precisão, desde que utilizados de forma correta.

 

Um exemplo de aplicação de Teodolito é na Topografia Industrial, que necessita de um elevadíssimo nível de precisão de posicionamento / alinhamento de máquinas. Nestas situações utilizam-se os Teodolitos muito precisos para realizar este tipo de trabalho.

 

Ver também múltiplos links disponíveis no artigo / temática “Instrumentos de Cartografia para Elaboração de Mapas”.

 

Ver mais artigos relacionados aqui!

 

👉 Follow @niuGIS

RELACIONADAS


23-12-2021