Home > Artigos > Mapeamento 3D - Fotogrametria VS LiDAR - 2 de 2

12-09-2023

Mapeamento 3D - Fotogrametria VS LiDAR - 2 de 2

Mapeamento, 3D, Fotogrametria, LiDAR


Na sequência do artigo de ontem a propósito de mapeamento 3D e as diferenças que existem entre Fotogrametria VS LiDAR, vejamos mais alguns aspetos importantes a ter em consideração aquando da sua escolha.


Outros Aspetos Importantes:

 

Precisão

Como vimos, a fotogrametria e o LiDAR aéreo diferem na forma como registram pontos no solo e isso afeta diretamente a precisão final da nuvem de pontos. Nos drones com tecnologia LiDAR a precisão é significativamente menor do que a oferecida pela fotogrametria e o pós-processamento LiDAR requer conhecimentos técnicos que vão além de um rápido treino ou da leitura de um manual.

 

O planeamento e o pós-processamento adequados da missão também são importantes para alcançar a precisão ideal: uma boa sobreposição entre as imagens aumenta a precisão e fornece melhor correção de erros em comparação com a dependência total do método de georreferenciamento direto utilizado no LiDAR.

 

Fotorealismo:

Se as suas aplicações exigem elevada precisão, deve optar pela fotogrametria. A fotogrametria pode fornecer resultados excecionais para a maioria das missões por uma fração do custo e da complexidade do LIDAR.

 

Importa também referir que a fotogrametria fornece um gémeo digital “real” com resultados de mapeamento fotorrealistas na forma de ortomosaicos, nuvens de pontos e malhas texturizadas. Isto pode ser extremamente útil para identificar e medir características, especialmente tendo em consideração que a precisão bastante boa.

 

Fluxo de Trabalho e Suporte

Quanto ao fluxo de trabalho, no caso da fotogrametria, empresas como Pix4D, Agisoft, Bentley CC, Propeller e Dronedeploy otimizaram fluxos de trabalho através de anos de experiência com uso intensivo de dados. As soluções em nuvem/servidor permitem processamento de dados em grande escala com investimento mínimo em hardware.

 

No caso de drones LiDAR, empresas como Phoenix LiDAR Systems e Yellowscan são pioneiras na simplificação do fluxo de trabalho de processamento de dados. No entanto, ainda hoje, o processo muitas vezes envolve múltiplas etapas manuais e diferentes ferramentas, bem como conhecimento especializado para desenvolver uma nuvem de pontos precisa.

 

Mapeamento, 3D, Fotogrametria

 

Tempo de Processamento:

O processamento fotogramétrico para resolução total leva várias horas (ou dias), dependendo do tamanho do projeto. Se precisar apenas de um conjunto disperso de pontos de ligação precisos, as ferramentas de fotogrametria oferecem opções de processamento com amostragem reduzida.

 

As nuvens de pontos LiDAR são georreferenciadas diretamente com posicionamento cinemático em tempo real (RTK) em voo ou posicionamento cinemático pós-processado (PPK) pós-voo. As etapas típicas de pós-processamento incluem ajustes de trajetória, ajustes de franja e filtragem de ruído, que são menos dispendiosos em termos computacionais do que os ajustes fotográficos de fotogrametria. Dependendo do tamanho do projeto, o processo dura de menos de uma hora (pequenos projetos com LiDAR para drones leves) a vários dias (grandes projetos para voos aéreos tripulados com LiDAR).

 

Conclusão:

Como conclusão, diremos que para a maioria das missões, os resultados 3D que podem ser obtidos com a fotogrametria são semelhantes aos obtidos com o LiDAR, mas com maior precisão e versatilidade, por exemplo, resultados fotorrealistas, graças a dados visuais de alta resolução. No entanto, existem algumas aplicações, como linhas de energia ou grandes extensões de floresta densa, onde se justifica o custo mais elevado do LiDAR.

 

Ver mais artigos relacionados: aqui!

 

Mapeamento, 3D, LiDAR

 

👉 Follow @niuGIS

RELACIONADAS


24-11-2021
Missão DART
29-12-2021