Home > Artigos > Uma viagem pela guerra entre os frameworks javascript

08-03-2022

Uma viagem pela guerra entre os frameworks javascript

Viagem - Guerra - Luta - Frameworks - Javascript


Guerra? Não… esta sim "operação especial", tendo em vista uma evolução.


 jQuery

O mais antigo e o que mantém ainda uma grande comunidade. Era o único que corrigia a interoperabilidade entre os browsers, mas muitas vezes tem baixa performance devido à “magia” que faz por trás com o javascript. Hoje em dia, já não é um dos principais nem a melhor escolha, mas vai sobrevivendo e enterrando muitos que prometiam ser melhores.

 

AngularJS

Primeira grande alternativa ao jQuery, mas já se aposentou em detrimento do seu irmão mais velho - Angular. Fica na história por ter dado um grande salto no ecossistema dos frameworks.

 

Angular

Chegou para modernizar o AngularJS que apresentava problemas de desempenho e robustez. Apesar dos bons resultados nunca se desligou do seu verdadeiro calcanhar de Aquiles - a curva de aprendizagem - que já vinha do seu antecessor.

 

VueJS

Nasceu pela necessidade de ser mais estável e fácil de usar que o Angular. Utiliza o sistema do Angular original e a simplicidade do AngularJS, ao mesmo tempo adota parte do poder do React. Ficou comprometido por não lidar bem com arrays e pela extrema dependência de bibliotecas como o Vuex ou Redux. 

 

SvelteJS

É dos que mais tem evoluído nesta "operação especial". Alega que a sua principal força é a tradução dos componentes para uma linguagem imperativa, que segundo eles, é melhor que a declarativa (adotada pelo React). Apesar da sua simplicidade, o componente resultante e suas alterações não são fáceis de prever, corrompendo muitas vezes o seu estado final.

 

StencilJS e Mitose

Tecnicamente não são frameworks, são mais "tradutores" de componentes para diferentes frameworks. Tem uma sintaxe muito parecida ao do React.

 

React

É o “vencedor” dos frameworks mais usados, soube evoluir mantendo a compatibilidade com a maioria das versões. Acompanha os padrões mais recentes do Javascript e avançou para o JSX (Javascript com XML incorporado), daí poder-se dizer que não é uma framework, mas sim uma biblioteca, que com pequenos ajustes, pode facilmente ser substituída por outras, como Preact ou React Native.

 

Artigos Relacionados:

 

RELACIONADAS


Contacte-nos 214 213 262

Informações