VINAGRE CEBOLAS
Home > Informação > O legado continua, Landsat 9 em direção ao Futuro

27-09-2021

O legado continua, Landsat 9 em direção ao Futuro

Legado - Landsat 9 - direção - Futuro


A missão Landsat 9 tem para hoje agendado o seu lançamento na Base Espacial de Vandenberg, na Califórnia, a bordo de um foguete Atlas V 401 da United Launch Alliance.


O satélite será colocado numa órbita quase polar a 705 km (438 milhas) acima da Terra, onde se juntará ao satélite Landsat 8. A carga útil da missão consiste em dois sensores de observação da terra: o Operational Land Imager 2 (OLI-2) e o Thermal Infrared Sensor 2 (TIRS-2). Ambos os sensores têm capacidades ligeiramente melhoradas em relação aos instrumentos predecessores idênticos (OLI-2) ou muito semelhantes (TIRS-2) no Landsat 8.

O satélite Landsat 9 estabelece um equilíbrio entre continuar o registro histórico e mover esse registro para o futuro. Ao utilizar tecnologia de ponta, o Landsat 9 irá recolher os dados com a melhor qualidade já registada por um satélite Landsat, ao mesmo tempo que garante que estas novas medições possam ser comparadas às feitas por gerações anteriores de satélites de observação da Terra.

 

Legado - Landsat 9 - Em direção ao Futuro

 

O Landsat 9 terá a mesma resolução dos seus predecessores e os dados serão mapeados com precisão para o globo para que investigadores possam estudar como cada pixel individualmente mudou ao longo do tempo.

A cada dia, o Landsat 9 adicionará mais de 700 cenas da Terra ao arquivo da missão. A órbita quase polar permitirá que os sensores do satélite capturem imagens de quase todo o planeta a cada 16 dias. Quando o Landsat 9 se juntar ao Landsat 8 em órbita, os dois satélites juntos serão capazes de criar imagens de cada faixa do globo a cada oito dias.

À medida que a população da Terra se aproxima deoito bilhões de pessoas, o Landsat 9 continuará a fornecer dados consistentes e imparciais sobre as mudanças na cobertura e uso da terra no nosso planeta e irá possibilitar estudos aprimorados da pegada crescente da população humana.

Os sensores anteriores do Landsat usavam espelhos que se moviam para frente e para trás, como uma vassoura que varre (visualiza) linha a linha para recolher os dados (ver imagem). Este desenho de sensor requer peças de movimento rápido, que estão sujeitas a desgaste.

As novas tecnologias permitem que o OLI visualize (varra) toda uma faixa de uma só vez. As vantagens são que estes novos sensores requerem menos peças móveis e são mais sensíveis do que os sensores da tecnologia anterior.

 

👉 Follow @niuGIS

 

RELACIONADAS


24-11-2021
Missão DART

Contacte-nos 214 213 262

Informações