VINAGRE CEBOLAS
Home > Informação > Uso dos Satélites Sentinel - Principais Aplicações Práticas

26-05-2021

Uso dos Satélites Sentinel - Principais Aplicações Práticas

Uso dos Satélites Sentinel - Principais Aplicações Práticas


A partir de imagens de satélite podem ser realizadas monitorizações ou estudos em diferentes áreas, como agricultura, atmosfera e clima, sismologia e vulcanologia, ocupação do solo, riscos naturais, hidrologia, planeamento urbano, paisagem, oceanografia, geologia, arqueologia ou biodiversidade.


Os mais conhecidos são os seguintes:


A) Extração de informação.

1. Geração das Ortoimagens de Portugal: a disponibilização deste produto de forma sistemática permite-nos visualizar as mudanças a uma resolução de 10 metros, sendo um produto interessante, a longo prazo, que nos permite detetar como a paisagem do nosso país muda ao longo dos anos.

2. Deteção de alterações: as imagens em alta resolução de diferentes satélites, em diferentes datas, permitem acompanhar, de forma automática e com grande nível de detalhe, as mudanças ocorridas no território.


B) Agricultura.

Rendimento da colheita:

Usando as informações nas imagens, uma parcela agrícola pode ser gerida com mais eficiência e os rendimentos e a produção das colheitas podem ser previstos com mais precisão. A grande resolução temporal que os satélites possuem permite-nos capturar as rápidas mudanças na produção agrícola. Usando apenas a água necessária, sem desperdício, podemos ser mais resilientes do ponto de vista climático.


C) Vulcanologia.

Usando a técnica InSAR (radar de abertura sintética – SAR), estudando o padrão de interferência de fase das ondas de duas imagens, é possível detetar deformações da superfície terrestre. A diferença de fase permite medir o deslocamento do solo com grande precisão após um evento, como no caso recente do Monte Nyiragongo, na República Democrática do Congo.


D) Riscos naturais.

Imagens de satélite ajudam a monitorizar desastres naturais e melhor gerir as áreas afetadas.

1. Incêndios (seja em tempo quase real, ou análise posterior);

2. Monitorização de corpos de água e secas;

3. Inundações fluviais e marítimas.

RELACIONADAS


24-11-2021
Missão DART

Contacte-nos 214 213 262

Informações