VINAGRE CEBOLAS
Home > Informação > O IGV - Informação Geográfica Voluntária

12-05-2021

O IGV - Informação Geográfica Voluntária

O IGV - Informação Geográfica Voluntária


Quando a recolha de informação sobre o mundo real é feita por simples iniciativa de um cidadão, não havendo lugar a qualquer contrapartida pecuniária, então estamos a falar de Informação Geográfica Voluntária.


Sempre que um cidadão opta por recolher informação no terreno, associando a esta informação as habituais 4 dimensões - espaço (x, y, z) + tempo (t) - e enviando-a de seguida para uma qualquer entidade que a submete a um processamento adequado, esse cidadão está de forma voluntária a disponibilizar informação geográfica que poderá ser útil à comunidade. Não há aqui qualquer retribuição explícita, para além da satisfação pessoal de ter contribuído para um mundo melhor, sendo esta uma actividade altruísta.

Apesar de não existir uma retribuição explícita, não quer dizer que esta recolha de informação, apesar de ser voluntária (porque não há penalização em caso de não haver recolha), não possa trazer benefícios ao cidadão. Frequentemente esses benefícios contribuem apenas para um reforço da sua auto-estima, podendo tomar a forma de uma promoção no estatuto percebido pela comunidade em que está inserido. Mas essa promoção do estatuto pode significar vantagens concretas, como sejam descontos na aquisição de produtos ou serviços nas lojas da comunidade.

Este tipo de recolha é frequente em contextos de comunidade, principalmente quando o custo de um levantamento profissional e exaustivo é demasiado alto para o orçamento da comunidade, mas também quando o horizonte temporal do levantamento se prolonga para além do que é razoável para a prestação de serviços por uma empresa, ou ainda quando a ocasião em que se observam as situações a registar são esporádicas, sem qualquer periodicidade previsível.

Sendo a recolha desta informação uma actividade voluntária, há espaço para se questionar a qualidade da mesma (sendo a qualidade uma característica quantitativa, intrínseca a um conjunto de dados, e não uma característica qualitativa, como frequentemente se assume de forma errada). Porém, havendo um grande número de voluntários a contribuírem com informação sobre a mesma coisa do mundo real, o impacto que um erro possa trazer tenderá a ser estatisticamente irrelevante. Desta forma, a qualidade da Informação Geográfica Voluntária é algo que tende a aumentar quando a quantidade de recolhas também aumenta.

Este tipo de solução é muitas vezes utilizada para medir a opinião das pessoas acerca de temáticas tão diversas como: opinião da população acerca de quais deveriam ser as principais áreas de intervenção no município / freguesia; opinião da comunidade acerca de um determinado evento / seminário; opinião da população acerca do desempenho de determinado autarca; fazer diagnósticos; estudos; análises SWOT; etc, etc.

RELACIONADAS


24-11-2021
Missão DART

Contacte-nos 214 213 262

Informações